DOENÇA CELÍACA


Desordem sistêmica autoimune, desencadeada pela ingestão de glúten. É caracterizada pela inflamação crônica da mucosa do intestino delgado que pode resultar na atrofia das vilosidades intestinais, com conseqüente má absorção intestinal e suas manifestações clínicas.

 

O glúten é um conjunto de proteínas que estão presentes nos seguintes cereais: trigo, cevada, centeio e, por contaminação cruzada por glúten, na aveia.

A doença celíaca ocorre em pessoas com tendência genética à doença. Geralmente aparece na infância, em crianças com idade entre 1 e 3 anos, mas pode surgir em qualquer idade, inclusive nas pessoas adultas e idosas.

Quais são os sinais e sintomas mais comuns da doença?


Podem variar muito, porém os mais comuns são:

  • Diarreia crônica (que dura mais do que 30 dias);

  • Prisão de ventre;

  • Anemia;

  • Falta de apetite;

  • Vômitos;

  • Distensão abdominal (barriga inchada);

  • Dor abdominal;

  • Aftas de repetição;

  • Emagrecimento / obesidade;

  • Baixa estatura;

  • Infertilidade e abortos de repetição;

  • Humor alterado: irritabilidade ou desânimo;

  • Neuropatia periférica;

  • Confusão mental;

  • Déficit de atenção;

  • Dor de cabeça;

  • Osteoporose / osteopenia;

  • Fadiga crônica;

  • Dores articulares.

 

Como a doença celíaca é diagnosticada?

 

Os exames de sangue são muito utilizados na detecção da doença celíaca. Os exames do anticorpo antitransglutaminase tecidual e do anticorpo antiendomísio  são altamente precisos e confiáveis, mas insuficientes para um diagnóstico. A doença celíaca deve ser confirmada encontrando-se certas mudanças nas vilosidades que revestem a parede do intestino delgado. Para ver essas mudanças, uma amostra de tecido do intestino delgado é colhida através de um procedimento chamado endoscopia com biópsia (um instrumento flexível como uma sonda é inserido através da boca, passa pela garganta e pelo estômago, e chega ao intestino delgado para obter pequenas amostras de tecido).​

exames_fenacelbra_2019.png

Qual é o tratamento?


O único tratamento é uma alimentação sem glúten por toda a vida. A pessoa que tem a doença celíaca nunca poderá consumir alimentos que contenham trigo, centeio e cevada ou os seus derivados (farinha de trigo, pão, farinha de rosca, macarrão, bolachas, biscoitos, bolos e outros) e também aveia contaminada por glúten. A doença celíaca pode levar à morte se não for tratada.

O que é Dermatite Herpetiforme?

 

É uma das manifestações da doença celíaca, onde a pessoa apresenta pequenas feridas ou bolhas na pele que coçam (são sempre simétricas, aparecendo principalmente nos ombros, nádegas, cotovelos e joelhos). Também exige uma alimentação sem glúten por toda a vida.

 

Quais são os alimentos permitidos para quem tem a doença celíaca?

 

  • Cereais: arroz, milho.

  • Farinhas: mandioca, arroz, milho, fubá, féculas.

  • Gorduras: óleos vegetais e animais, manteiga.

  • Frutas: todas, ao natural e sucos.

  • Laticínios: leite, manteiga, queijos e derivados.

  • Hortaliças, raízes e leguminosas.

  • Carnes e ovos: aves, suínos, bovinos, caprinos, miúdos, peixes, frutos do mar.

  • Sementes e oleaginosas

Rotulagem


Atenção ao rótulo de produtos industrializados em geral. A lei federal nº 10.674, de 2003, determina que todas as empresas que produzem alimentos precisam informar obrigatoriamente em seus rótulos se aquele produto “Contém glúten” ou “Não contém glúten”.

Atenção:


Qualquer quantidade de glúten, por mínima que seja,

é prejudicial para o celíaco.

  • Leia com atenção todos os rótulos ou embalagens de produtos industrializados e, em caso de dúvida, consulte o fabricante;

  • Não use óleos onde foram fritos empanados com farinha de trigo ou farinha de rosca (feita de pão torrado);

  • Não engrosse pudins, cremes ou molhos com farinha de trigo;

  • Tenha cuidado com temperos e amaciantes de carnes industrializados, pois muitos contém glúten;

  • Não utilize as farinhas proibidas para polvilhar assadeiras ou formas.

Para saber mais clique nas caixas coloridas:

Clique aqui para ver a tabela completa