• Dra Danielle Kiatkoski

Sou Celíaco, e agora? Diagnóstico e primeiras consultas




O primeiro passo é entender o que é a doença celíaca (DC). Nesse momento, seu médico terá um papel fundamental! Cabe ao profissional médico, junto com o diagnóstico, explicar que a DC é uma condição autoimune e genética, onde a ingestão do glúten causa reações gastrointestinais inflamatórias que levam a uma série de diversas complicações médicas.


Explicar sobre carência nutricional, contaminação cruzada, cuidados necessários em casa, no trabalho e nos restaurantes, também faz toda a diferença. O cuidado com as angústias, medos e dificuldades com a alimentação que o paciente venha a ter, é um olhar profissional e humano necessário.


Recomendo sempre que no primeiro ano, as orientações e consultas ao paciente sejam frequentes, sempre marco consulta de retorno após o diagnóstico para, no máximo 1 mês, pois nesse início as dúvidas são muitas! Afinal de contas, doenças autoimunes, como a DC, acabam gerando outras derivações, costumo brincar que elas "não gostam de ficar sozinhas", por isso é tão comum, principalmente quando não há o devido cuidado, que pacientes #celíacos acabem por desenvolver outras patologias, como diabetes, lúpus, psoríase e etc.


Para cada pessoa, o peso do diagnóstico é diferente. É preciso entender que haverão os "negacionistas", que dirão algumas incoerências como "meu grau é baixo" ou "só não posso exagerar, mas um pouquinho não faz mal"; tal reação não passa do medo de encarar o diagnóstico, mas eu garanto: não existe grau de DC, celíaco não pode comer glúten NUNCA!


A responsabilidade médica vai além de informar o diagnóstico, é preciso lembrar que há uma vida sendo inteiramente modificada e que sem as devidas orientações e acompanhamentos, o paciente, o indivíduo, a #pessoacelíaca, não poderá ter uma qualidade de vida digna.